quarta-feira, 19 de agosto de 2015

PALHAÇOS*






















PALHAÇOS*
O sistema movimenta os fios. 
O palhaço brinca de transgredir-lhe os movimentos.
O sistema ri, e a gente faz de conta que acha graça.


E assim somos,
sem que percebam que estamos sendo algo
além de marionetes, 
felizes, e mais nada,
crianças, bebendo da fonte do amor,
e irrigando a vida inteira 
com a mesma água abençoada.


Bravo! Bravo! Bravo!
O Palhaço jamais envelhece!
Ponto para a alma! 
Ponto para a sua perspicácia!


Palhaços! 
Ah, o orgulho que sinto em mim!
Nós, Palhaços amigos,
descobridores da Terra do Sem fim,
escrevemos belos poemas 
com a falácia do sistema.



*Carmen Regina
fotos da pg de Leonides Tico Quadra

2 comentários:

João M. Marques Jacinto disse...

Belo "Palhaços"!
Sempre, bela poeta-amiga!

Abraço-poema!

jj

Carmen Regina Dias disse...

Sou grata a ti, João, poetamigo... sua presença em minha vida e poesia
é uma dádiva dos deuses.
Muito obrigada, querido.

grande abraçopoesia para ti.