quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Melhor fechar os olhos, dormir...

Noite a dentro,
Fazia frio lá fora, e
Havia uma palavra no ar,

Impossível não vê-la,
Queria esquecê-la,
Mas ela não ia embora.

Ficava.
Ficava e falava:
Precisa escrever uma poesia,
O lado direito reclamando:
Sem inspiração, sem chance,
O lado esquerdo se esperneando.

Caneta na mão mas,
Sem força para segurar
Dedos no teclado,
Coitados, precisam se inspirar...
O que poderia vir a tingir
O papel branco do word?

Poesia, ei! eu existo!
Me ouves?
Que nada, nem sinal,
Desisto,

carmen




sábado, 8 de novembro de 2008

novo dia


Raia a luz
desponta o dia
E tudo o que fora belo
no chão, virou fantasia.

Brilha o sol
E o que se via
Agora, em corpo nu,
são versos, é poesia...

Voa a estrada,
horizontes se esquecem,
fora tudo, não é mais nada
lindos sonhos se arrefecem.

Lá vai o poeta
jamais se apequena
sua função predileta
dar vida ao novo poema.

carmen

anjita branquita


Branquita

Tão pequenininha...
Direitinho uma anjita.
Veja como é branquita...
Flores e passarinhos por toda parte.
Abrem-se as pétalas, despredem-se os perfumes.
Batem-se as asinhas e os átomos dançam no ar.
A clara luz resplandece no éter.
O branco ilumina a natureza de tudo.
Teus pézinhos descalços hão de percorrer
doces caminhos neste mundo.


carmen

era sonho


Era sonho
até tornar-se verso

Eram versos
até virar carícia

Era distante
até tornar-se tão perto

um simples piscar de olhos
movimentando oceanos

Um ponto de interrogação
e dispara meu coração

Um ponto final
e...
de novo os passarinhos

de novo a exclamação
Uma reticência

novamente a inocência
recomeça a adoração

Umas poucas palavras
e já vem um novo dia

todo
Virado em poesia.



carmen

Ainda, amore...


Amore mio...

Nem precisava ser tão magnífica noite.
Inesquecível seria, ah, se seria...
se estivesses aqui...

Meus gritos não me assustariam,
um simples nome não me torturaria
se estivesses aqui...

E se não posso impedir as vozes dissimuladas
de atormentarem a si mesmas, deixo estar,
até que o silêncio se torne em poesia...

Porque, apesar de tudo, contradigo-me,e te digo
que te sinto aqui, terno e saboreável, dentro de mim...
Ainda...



carmen

imagem by Vera L B

para Jéssica, botãozinho do sdk

Pobre botãozinho...
A sedução dos espinhos,
o clamor do vazio,
o cheiro da terra...
Desprendeu-se do talo
frágil botãozinho branco...
E não há seiva no chão...
É pontiaguda a seta da depressão.
Mas não furou o vestido lindo de formatura,
não borrou o boletim,
borrou o rosto da roseira
que definha, inconsolável,
geme, se tortura...
Pobrezinho do botão...
Pensou que a vida era eterna.
E é.

jardineira....



Semana das Crianças.
Nuvens de suspiros alcançam o céu.
Algodão doce a granel.
Chuva de pétalas brancas sobre a terra
Cai o pano, o ato se encerra.
Um anjo retornou ao lar.

"Qualquer dia a gente volta a se encontrar..."
Mas por enquanto, brinque bastante, voe pelo Paraiso,
Aqui, a viagem continua,
A gente vai tocando, vai levando,
Segue lembrando, espíritos que somos
Vivendo a experiência de ser humanos.

Difícil, quando se é apenas anjo
E se pesa menos que uma peninha de colibri...
Mas o planeta ainda terá essa densidade sutil
Os anjos desejarão viver por aqui
Eternamente, um dia... quem sabe...
Muitas graças por ter vindo na frente.
Valeu.

cristalina

Borboleta de cristal


Azul
Nem do mar nem do céu
Azul da cor do papel

Cintilante
Azul poema
Traçado a bico de pena

Veloz
Atravessa oceanos num zás
O que não serve fica para trás

Observo...
Vejo a sorte em suas faces
Admiro a lapidação

E uma nova borboleta rompe
o casulo da imaginação
e pousa na palma da minha mão.

carmen

Poesia vai passear

















Pela fresta da janela posso ver

O que de cima do muro não veria,
O despertar de poesia.

Ela puxa as cortinas do olhar,
Sorri para os raios de sol
E faz o que há muito não fazia:
Abre os braços e se lança no espaço.

Ah, que belo vôo ela traçou!...
Precisão de garça,
Mergulho de gaivota,
Ousadia de condor!
No éter ela muda de cor.

Lá vai ela, asas de mel,
Cada vez mais alto,
já sumindo no céu.
Quando voltar,
quantas histórias
para contar...


carmen

certas músicas...




Se as ouvimos juntos
sinto a doçura da voz,
a delicadeza do toque,

quem sabe tão delicada
como a pele do teu pescoço,
teus ombros, teu peito aberto...

Está diante do amor,
agora é puro louvor,
o uni verso geme dentro dela.

Delírio vai descendo macio
como a cortina de neblina
sobre as pétalas das flores lá fora...



carmen


Ousar

Poesia é uma menina...
Cara lavada,nem usa batom.
Vai ser uma obra prima
Esse encanto de botão.

Tiro brilho da aquarela
Coloco nos olhos dela,
Cor de rosa, leve, sutil,
Nem tem corredeira esse rio.

Horizonte  logo adiante
Impõe limite ao olhar,
Mas, para ela é indiferente,

Sua alma segue à frente
Certeza que irá chegar
mas, por ora, estudar!


*Carmen Regina



imagem by Gilad site Devian Art

o instante é uma criança


O instante chegou mas,
já não se estava.
Passou.

O próximo instante, esse desconhecido,
quando se fez presente, dormia-se,
passou despercebido.
Agora é instante esquecido.

Ausente é o instante
que não se sente presente.



carmen

brincadeira























é tudo uma grande brincadeira

folguedo que esqueceu de acabar,
nada sério, nada a valer...
poesia pra finalizar.

apenas um sonho
não precipita ação,
não tem mesmo nada a ver,
é o poeta, adora fantasiar,
palavras o atraem,
do nada viram algo
que ele gosta de ler.

a rua do poeta é estreita,
um pouco distante do mar.
mas é gostosa de andar.

brincadeira de criança
indelével na lembrança.
um jardim de belas roseiras
mas a rosa amarela não se abrirá.


carmen

poesia dorme


Segue, poeta,  o caminho.
Um aqui, outro acolá, vai retirando os espinhos,
pensamento a incomodar

Picão branco, picão preto,
por toda roupa colados, pico pico, carrapicho
parecem garras de bicho.

Espinhos de rubra cor,
quem mandou ali entrar? poeta desalentado
não passaria sem dor.

Uma mata assim fechada
cercania tão farpada...para um pouco pra chorar.
Logo passa, pensa nisso,

O Poeta tem compromisso.
Segue em frente, procura outra via,
não se pode parar poesia.


Carmen Regina

chove...


Rajada de brisa...
as folhas dissolvendo-se a teus pés...
Eu me derreteria ...
Dançarias comigo?...
Sinto o gosto das estrelas
o sabor de vento...
Por que teus dedos me tocam tão macio...?
O ar embriaga-se de ti...
O fogo consome uma a uma todas as pétalas...
Janelas não se abrem mais...
Os relógios pararam...
Os trens já não levam a lugar algum,
explodem lá fora...
Mas eu tenho uma estação inteira
Pa ra levar-te onde quero chegar...
Ah... essa brisa que me adormece ...
Melodia que me enternece...
sopro de éter que vem
deita-se sobre mim
e me faz sonhar...



carmen

acendendo a primavera


prima
vera
acendendo
/
canteiro
em
chamas
/
flores
em
brasa
/
pétalas
ardendo
/





carmen

a dona do mundo


Era outra vez menina
perdida no jardim das lembranças.
A rosamorosa florescia
no canteiro do amor perfeito.
Tudo era belo e sagrado...
Ela tinha um sonho
e isso a tornava
dona do mundo.

carmen regina

além das vidraças


site olhares aeiou


Muito além das vidraças

Solitário canta o grilo,
em coro ecoam cigarras,
a chuva cai tão serena...

Preciso bem poucas linhas,
um princípio de poema,
pra soltar minhas amarras.

Onde estará, que não vejo,
a varinha de condão
que desperta a poesia?

Só preciso que me toque,
acorde meu coração,
me salve da miopia.

Vejo choro na vidraça,
noite de olhos inchados,
mas, isso uma hora passa...

Dedos rentes ao teclado mas,
nem sinal de poesia
se não estás do meu lado.


carmen

Belo dia...

Belo dia

O dia nasceu,
E a estrela de fogo não apareceu.
A natureza dorme
recoberta por úmido véu,
Regozijam-se as raízes,
Tremem as pétalas das flores,
Torrentes deságuam do céu
E alguma coisa me diz
Que veio lavar nossas dores.

Dia mais contraditório...
As portas do eterno estão abertas mas,
Não se pode entrar, apenas imaginar que ...
Um dia adentraremos,
Quando o hálito frio do tempo
Penetrar em nossas narinas
Separando o envoltório
A montanha criará asas e, voaremos.

Eu serei eternamente humana e menina,
O vento soprará em meus ouvidos
Os mais inefáveis versos,
Minha porção anjo resplandecerá
Na alvura do meu corpo estelar.
Minha casa, o coração de um poema,
Meu país, o sistema solar
Meu perfume, flor de açucena...

Novas florestas se levantarão,
Outras sementes germinarão,
Mas sempre se ouvirá aquele som:
O cricri dos grilos, o eco das cigarras,
A melancolia do violino no éter se propagando...
Chuvas haverão em outra dimensão?
Pouco importa, por enquanto,
Vou guardando os meus rebanhos...

carmen

Flor essência...



Minha flor

Lanço a semente ao Deus dará,
e espero pacientemente: - Ele fará.
Um dia eu volto pra ver a bela roseira florescer.

Ah, minha flor, imagino-te
germinando e rompendo o chão,
teus galhos subindo em direção ao sol...

Vejo tua sina: cor de rosa,
e, apesar de tantos espinhos,
de todo jardim eu te vejo a mais formosa.

Um dia eu voltarei, e sei:
na ternura de tuas pétalas tocarei o paraíso.
Êxtase! Ah! teu perfume já está no ar... Inefável!


carmen

a mente é um disco, sempre as mesmas músicas...



ta certo, poeta...

fIcamos assim, então?
deitados
no tapete do passado,
colocando em caixinhas
mui lindinhas,
cortado em cubinhos
congelados,
o presente da oração.


carmen

foto by site Olhares aeiou




Transmutação



Transmutação

O espírito evolui
No planeta sou apenas porta-voz.
Um dia não é igual ao outro,
Se ontem fui Eu,
Hoje, certamente, sou Nós.

Minha lei é a Eterna mudança,
Meus pensamentos não criam lastros,
Os sentimentos se renovam a cada dia,
No momento seguinte, nem traços...
Transmutaram-se em poesia.

carmen

Apenas um sopro

foto by Rarindra Prakarsa, site photo.net


Um sopro apenas...

Quem, ao vê-las, tão diáfanas
não sente na pele sua leveza?
Um olhar para elas e, pronto!
abre-se o link da efemeridade,
e a transitoriedade é a única certeza...
Olho-as devagar, mansamente...
os fractais me fascinam,
maravilha-me o arco-iris em suas tangentes!
Mergulho, e lá do fundo me vem:
Nada é para sempre, por mais belas,
as borboletas são eternas perante elas.

Um sopro, apenas um sopro...
E quanta beleza se pode contemplar
num único instante de eternidade!



carmen