segunda-feira, 30 de junho de 2008

Le Ve


Brisa vem

Brisa leve
Leve o afã

Leve a sina

Lave a alma da menina

Leve a brisa

Breve o verso

Leve e vem

Vem e me fascina

E me leve...



carmen




imagem: site fotográfico Olhares aeiou









voar...


Acordei ouvindo o mar.
Vento leste na janela,
Ronco de navio,

Maresia...
Lembrei meus amores tantos...
E teu rosto de brisa sorriu!

Tomei uma xícara de poesia
E fui.
Voei num mar de gaivotas.


carmen

imagem: site fotográfico Olhares aeiou

Antropofagia


Como meus versos,


Como te comeria,


Em homenagem à linguagem


Aromática,


Nutritiva,


Colorida e apetitosa,


Bela e


Afrodisíaca


Da tua poesia




carmen

imagem: foto site olhares aeiou




...






Dourado no céu


Coração na estrada


Caminho de mel


carmen



Imagem: Google




a cor de


Um acorde...
um só, que me acorde,

e já se ouviria toda uma sinfonia.


carmen

imagem site olhares aeiou

HAIKAI








MARAVILHOSO!

CINCO SÍLABAS NO FIM,

SETE NO MEIO!

...





Palavras voam

Rimas em bandos passam

Asas aos versos



carmen



Imagem site olhares aeiou

domingo, 29 de junho de 2008

Beijo-te...


. Beijo.
E minha boca já é toda um riacho murmurante
E teus lábios, um mar de águas turbulentas,
Beijo-te e embriago-me de amor...
Acaricio-te.
E não há oração mais sagrada que o tocar-te a pele,
E minhas mãos não conhecem deleite maior
Que a suavidade dos teus pelos...
Deitas teu olhar amado sobre mim
E todas as ninfas me afloram aos poros
Querem sentir o perfume que exalas
Enquanto deposito sobre o teu altar
A minha oferenda di amante.


carmen
Imagem: site Olhares aeiou

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Vagas ...

Mar...
Um mundo de águas...
Ondas e mais ondas,
marolas sem fim dentro de mim.

Agora, tempestade, maremoto, procela,
velas desfraldadas e rasgadas.
Por onde vagas...?

Na aldeia de guelras e sereias
Gaivotas voam alto para ver
as estrelas do céu em cada grão de areia ...

Ventus fortis...
Meu coração segue á deriva
sem mapa, sem rumo, sem norte...

carmen
foto by photo.net

Hipóteses


Amamos o amor.

Certas pessoas se achegam e,
sem a menor explicação,
o vulcão extinto entra em erupção.

Aproximação...
e o mar de amor que transborda no meu peito
flui em sua direção.

E então ela vem, oceano ao meu encontro,
e as ondas se agigantam e se abraçam,
tocam o céu.

Desperta o deus das tempestades ocultas...
Ou não...
quem sabe eu desperte...


carmen

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Frio na estrada...





















Corro atrás do Sol, 
ele brinca, quer folguedos,
despista, 
se esconde na nuvem cinzenta...

- e hoje eu nem queria brinquedo,
tanto frio, - quem agüenta?

Agora nem tanto, mas,
quando o Sol se cansar
da correria do dia,
vai se deitar no quentinho e, sabe, 
o bom velhinho...
é  tão friorento 
por dentro...

Sim, que agasalho, ele têm!

Se ele fosse meu vizinho
não ficaria sozinho,
inda mais agora 
que ele tem também
....a neta esperando neném,

- e já não cabe em lã tão rala...

Mas ele não reclama, não fala,
não revela o seu querer;
reza pra criança nascer
num dia ensolarado.
Pudera estar do seu lado,

(- licença, amigo, to chegando...)

Construindo um novo tempo,
a gente riria um bocado
e as agruras da vida
virariam  passado.


Carmen Regina

Poema Coletivo do Pessoa Tribalistas:


O que é um poema?
Apenas palavras. Mais nada.
E as palavras são fingimento e finta
Papel e tinta, apenas.
Senão, vejamos...
Assento-me sereno e calmo e,
na plenitude do meu olho que vê,
contemplo-me. Quem sou?
Sou um enigma, sou interrogações.
Decifra-me em cada linha , em cada verso,
descubra-me no momento certo.
Páro e penso:
- Sou eu buscando-me em cada verso,
sou eu mesmo desvelando-me em estrofes,
é o mim mesmo que procuro no poema que me inventa.
Mais uma vez, as palavras que me vestem são vazias
Somente em minha nudez reside, ainda que tardia,
uma semente de verdade .
Começo a me desesperar...
Por onde ando que não me acho,
Ó, alma minha, por que me deixa sozinho no meio da tempestade?
Num misto de espanto e assombro, percebo, num relance,
a imensa solidão do mundo que, pousada sobre meus ombros,
impede que eu avance pelos caminhos
É a hora da verdade, - quem sou ?
o poeta solitário e observador, ou sou o observado,
Atlas sofredor carregando o mundo nas costas?...
Porém, se o mundo nas costas carrego,
também sou por ele carregado,
Eis que, vivemos em simbiose,
piolho que sou desse globo desolado
nem senhor de tudo, nem pobre coitado,
um homem comum, simplesmente, um aprendiz
a andar pela vida de olhos bem abertos,
às vezes de forma concentrada, outras de forma distraída,
eventualmente cego, porém vivo,
e em constante observação de tudo que me cerca,
tentando apreender um jeito de seguir
não meramente resistindo, mas existindo
em busca de um final feliz


Carmen, Denise, JL, Sergio
foto by Ravindra site Photo.net

desmancho-me ....



Vi, senti,
virou
Poesia.

Atenta a tento,
ela vem,
desmancho-me...
Versos doces,
 rima sutil...

Poeta servil.


Poeta quer o ser.
Mas sou deserto,
sertão. ..
Ser tão servil...
A tento, e ela vem...

Desmancho-me em palavras...
Água viva
 inda molha esse ser tão...

Carmen Regina Dias

imagem: Google.

sábado, 14 de junho de 2008

Bebe meu amor...

Bebe
meu amor.
É água viva com sabor.
Água pura, da fonte da paixão,
rio de felicidade fluindo ao mar.
O mar é o teu coração.
A onda quente no meu peito é sentimento.
Será amor?..
ou amizade?
Bebe
meu amor.
Bebe à vontade.
Nesta fonte até o mar é teu.
Bebe
meu amor...
E depois vem sentar-te comigo aos pés de ti,
E olhar-te, e ver que tudo passa como rio.
Mas tu não. Tu permaneces.
Como deus.

carmen regina dias
Whatterhouse, imagem do site

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Pra mim, assim...

Fico triste não,
isso dói no coração,
pego leve,
mando um som,
cantarolo uma canção,
conto estrelas escondidas,
atento pros vagalumes,
o luar por baixo das nuvens,
pinto mil flores astrais,
no geral pinto bem mais,
mando vê, libero o pincel,
e faço da tela o meu céu.
E dê-lhe cor!
o arcoíris inteiro,
em vez de abelhas, o mel,
mel nos olhos e no peito,
e então eu olho direito,
tem purpurinas por tudo,
aura ao invés de escudo,
luz dourada em vaievém,
sombra é certo que tem,
e se não acho meu bem
paro por aqui,
não coloco mais ninguém.

carmen regina dias

imagem site Olharesaeiou.com


terça-feira, 10 de junho de 2008

pintando o dia...

imagem: by Prince - site Devian Art

Por do sol.
Braços em êxtase ao sabor do vento...
Anoitecer.
Daqui já se pode ver:
Há um estopim aceso sabe-se lá aonde.
Bichos correm ladeira acima,
Pássaros voam em debandada
[as penas se soltam das a
sas e fazem cócegas
no ventre da terra]
Partículas telúricas revelam sensações corporais.
O éter canta na madrugada.
Os grilos não páram de falar...
A ponta do lápis segue em
queda livre vertical,
despenhadeiro abaixo.
Aos dedos é dada a honra da travessia das colinas gêmeas,
[O lápis se quebraria na primeira curva - são duas,
circulares].

As pequeninas árvores nos altos cumes esperam
pelos pássaros do fim de tarde.
Aqui já se sente a poesia.

Ao nascer do sol,
braços em êxtase, ao sabor do dia...


carmen




domingo, 8 de junho de 2008



Quando me pões a girar me arrancas do chão

me pões de pernas pro ar e me levas para um novo lugar

entre tu, meucéu
e eu, o teamar.

Carmen Regina Dias
Foto: Keiko Guest

sábado, 7 de junho de 2008

...


Finda o dia
Passarinho no ninho
Eu sem poesia

Já amanheceu
E tu te multiplicas
Clareias o céu

Brilho estelar
O mar, úmida tela
Já te revela

Ondas te tragam
Lançam-se na areia
Tu permaneces

Tua lembrança
me incendeia
teu calor enternece

Carmen Regina Dias
imagem by Google

Cogitações

Quem sabe, sentir seja esse imaginar sem fim...
Sempre o que enxergo tornando-se no que penso.
Enquanto observo, olho esquerdo conectado a uma dimensão sutil,
o olho direito, dominante,
vê ou vaga?
Leva ou é levado pelo outro?
É olhar e ver. O que vejo? Vejo o que desejo,
ou as coisas são assim mesmo,
esses tons fazendo molduras no ar ao redor das coisas
e, nesse ver, o que vem de dentro e de fora de mim
vai alterando o meu sentir...? Assim como as estrelas não vão embora quando o sol vem,
reparo que ver independe dos olhos,
apenas do olhar.
Quantos olhos temos?
Conseguirei juntá-los num único olhar?
Se não os tivesse sentiria de alguma forma? É a luz...
Se tem luz tem sombra, e tem foco, ainda que disperso.
O tempo todo penso que ainda acerto esse foco.



carmen