segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Soltar as amarras



"Soltar as amarras
quem sabe seja
deixar o vento me levar
ao sonho à beira do a mar.

Vem uma onda e me agarra,
vem outra onda e me beija.

E tudo que eu mais queria
era um cadim de poesia
pra trocar com esta flor
por um poema de amor.

Vem um verso e me agarra,
vem outro verso e me beija.

Soltar as amarras
quem sabe seja
ouvir a água que rumoreja
nos sonhos à beira do a mar.

Vens em ondas e me agarras,
ondas e mais ondas me beijam."


Carmen Regina
foto de Selina De Maeyer site photo net

7 comentários:

Fredy disse...

NOSSA D+

TB ADD ALGUNS NOVOS SE TIVER A OPOTUNIDADE DE VER.

poesiasmartinspescador disse...

Bela foto! Belo poema!

Sereníssima-Lena Ferreira disse...

'Vem uma onda e me agarra,
vem outra onda e me beija.'

E no vai-vem desse a mar eu me deixo, ao sabor dos encantos teus...Maravilha!

Felipe Lacerda Bicalho disse...

Puxa... ler esse poema foi exatamente a mesmíssima experiência de observar fixamente um minúsculo grão de poeira bailar majestosamente num raio de sol.

Obrigado por existir.

Rosângela Monnerat disse...

Soltar as amarras e deixar-se ao mar. Amar as palavras que a beijam como ondas a levarem-na de si, como deitada ao porvir, por sobre a calma do mar, em amar o dia.
Adorei conhecer sua disposição em soltar-se aqui.
Parabéns, Carmem.
Prazer em conhece-la, em momento de tanto prazer!
Grande abraço!

Jardim de Poesias disse...

"....E tudo que eu mais queria
era um cadim de poesia
pra trocar com esta flor
por um poema de amor."

Precisamos tanto dessa doçura toda. Adoro seus poemas! São uma fonte de ar puro.

Cyro Bittencourt disse...

Adorei Carmen querida, muito obrigado por tudo, bj <3