domingo, 4 de março de 2012

entrega

 













Ó, Alma do Universo,

trago a ti  palavras  cheias de mim, densas, carregadas de sono e cansaço,
trago-as, na esperança de que o teu silëncio as formate e as  torne límpidas, cristalinas e leves,
como a paina, a flor do dente de leão, as nuvens de algodão,
 translúcidas, como bolhas de sabão.
Trago, também, meu coração nas pontas dos dedos.  Para que tu os mova e eles  aprendam
a escrever em teu nome  e sob o teu olhar.
Estes olhos, tão meus  e que vivem fechados, tos dou, -  a ver se se abrem à tua realidade.
Dou-te, outrossim,  minha língua para que a ensines a falar em amor, e meu amor também
 te dou,  para que contigo ame a tudo que existe como a um irmão, uma irmã, como à tua criação,
sem diferenciar coisas, bichos, montanhas, pedras, animais, rios e gente, nuvens e estrelas.
Coloco diante de ti o  corpóreo  que penso ser, para que me mostres onde tu estás nessa
chama invisível e incorpórea que Eu Sou.
Também esta chama te entrego e, com ela,  as cinzas que restam de mim no chão.
Se algo sublime nelas puder ser percebido,  que seja a essência, o imã, o laço que me liga a Ti
e à Tua criação.


Carmen Regina

6 comentários:

Francy´s Oliva disse...

Que assim seja e assim se faça.

Soul disse...

Ó Deus Eterno, dá-me forças, para que em mim, se multipliquem os frutos do Teu amor. Peço-Te, Senhor: Que através de Tua Autoridade eu não despreze o pobre, nem dobre meus joelhos diante do homem insolente e impiedoso. Levanta meu espírito, ó Senhor Deus. Que o meu amor pela Tua Obra esteja acima das preocupações e futilidades do meu dia-a-dia. Que eu me humilhe diante de Ti. Sempre com o mais puro amor. Não sou mais que uma nuvem de outono, vagando inútil pelo céu, ó Glorioso Deus. Se for esta, a Tua vontade, Senhor Deus, entrego-Te o nada que sou, para para que faça conforme a Tua vontade. Durante o dia, pinta-me com cores jamais vistas por homem algum, faça-me flutuar ao soprar do vento flutuando pelo Teu céu de múltiplas maravilhas. E se quiseres terminar à noite tal recreio, sei que estarei feliz e seguro trazendo em minh'alma o sorriso de uma alvorada e uma pureza transparente.

ApdD

M..... disse...

Olá, é aquilo o Miguel... obrigado pelo os teus comentários, irei te deixar aqui o meu 1 comentário deste ano 2012, e quando puder irei comentar muitos mais.
Um lindo poema, continua a publicar.
Cumprimentos, Miguel Cruz.

Débora Benvenuti disse...

"Também esta chama te entrego e, com ela, as cinzas que restam de mim no chão.
Se algo sublime nelas puder ser percebido, que seja a essência, o imã, o laço que me liga a Ti
e à Tua criação".
Que a chama seja eterna, ainda que seja apenas chama.
Achei lindo. Parabéns!
Beijo

Fulvio Ribeiro disse...

Carmen...
estava mesmo precisando passar pelo "Divan"...
Saudades daqui,o texto dispensa comentários.
Grande Abraço.

Marco Coelho disse...

Belíssimo poema que fala da essência.