quinta-feira, 10 de maio de 2018

Cadê a onda de ternura ....


Cadê a onda de ternura,
ainda há pouco aqui,
indo e vindo,
espuma macia no dorso do a mar?

Meu con sorte,talismã di amante,

onde andará?

No tapete da nebulosa,
milhões de estrelas  silenciosas brilham
para milhões de sóis.
A tarde  balança  o berço da noite,

Ao pé do sonho
canto cantigas de acordar
o a mar ...

2 comentários:

Sérgio Bittencourt disse...

"Cantigas de acordar o mar" São estas que procuro ouvir e cantar. Até porque,estou agora diante de sua força e mansidão.

Luís Bento disse...

Gosto do jogo ... mar, amar...Muito bom.