sexta-feira, 17 de maio de 2019





POR QUE DESCEMOS...?*

Segue a caravana da ignomínia
na noite breu milenar,
a bordo,  milhões de semi-vivos.

Por fora, desalmados, por dentro, sonolentos.
A ignorância canta, a crueldade balança o berço,
para que durmam infinitamente.

Cortai e libertai, meu Pai.
Curai as feridas causadas pelos grilhões.
Livrai-nos do sono e da cegueira!
Ou, então, é melhor retornarmos ao tempo
em que o espírito repousava na pedra.

Por que descemos tanto?...

Carmen Dias*
Foto de Thiago Gonçalves