quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Adoro vir aqui pra reler o que vocë escreve comentando o que leu... Dá vida, dá fogo aos meus sentires. Muito obrigada.





Tem dias que a alma é  uma fábrica
eu, a operária, no tec tec sem fim,
ela não para, as minhas mãos disparam,
e os poemas entram e saem  de mim.

Sim, eu me  identifico,
É natural,  vivo em sua companhia,
sei o que ela pensa, o que sente,
co-autora que sou da poesia.

Ela é linda, amorosa e apaixonada,
Vive para   te adorar,
e é por mim que mantém a calma,

Sabe que nascemos para nos amar,
então se contém,
mas, só eu sei o que me vai na alma.


Carmen Regina

3 comentários:

Francy´s Oliva disse...

Aff, nem sei o que dizer apenas me senti de encontro com a Natureza e tudo a sua volta, e nesta troca de sentimentos que leva de encontro com a nossa alma.
adorei o poema e a imagem que escolheu.
bjs, tenha um lindo final de semana

Sergio Bittencourt disse...

Tem dias que a noite é longa
Passa por mim fria, calada e só
Ela também não para
E eu aqui absorto
Ouço os seus passos
Me chamando pra dançar

MARTINS PESCADOR disse...

A poesia tem um ciclo de fertilidade na alma de cada poeta. Ás vezes, falta, ás vezes se perde. As postagens, lindas como sempre! Faça uma visita no meu blog e conheça meu livro NA TERRA DAS COBRAS. Abraço!