segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

à beira do a mar ...





“Lá vem ele,
poeta na alma, poesia no olhar,
versos nas pontas dos dedos;

Um zás! Asas de borboleta a farfalhar,
sabiá laranjeira a cantar e,
sinta! Ah!

Espera! Senta aqui comigo,
vem ver a celebração do luar,
o manto dourado caindo sobre os ombros da noite,
colar di amantes cintilando no pescoço do horizonte...

O céu é a tua boca, pura estrela.
Nessas horas o sertão vira mar, seu moço.
Cola o  ouvido no caramujo e ouve:

É o marulho das ondas,
sereias cantando, o poeta sonhando  
à beira do a mar.

*Carmen Regina 

6 comentários:

ManivelasdaMente disse...

Uma jóia este poema. A ler, reler e decorar.

Van disse...

"A beira do a mar" todas as canções se ouvem.

Maravilhoso poema, Carmen.

Boa semana, beijos!

Princesa do Mar disse...

Um poema cheio de beleza que seduziu os sentidos da minha alma! Parabéns por esta criação de poesia pura!

Um beijo*

Débora Benvenuti disse...

Belíssimo poema. Adorei.Parabéns!

Sergio Bittencourt disse...

"É o marulho das ondas,sereias cantando, o poeta sonhando à beira do a mar"

Isto dá samba. Acabei de fazer. Ficou lindo demais.

Sergio Bittencourt disse...

Eu com meus amigos Ary Peçanha e Renata Murad brincando de ser poeta e cantando à beira do mar.

http://palcomp3.com/sergiob/#videos

Abra aí em vídeos e assista "Sergio dizem que falaram"