quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

LagriMinha...


Era uma lágrima pequenina, 
perdida em sonhos, 
ardia em febre em meu colo.
Coloquei-a para dormir 
em meu travesseiro de plumas.
Logo vieram suas irmãs, infantes, 
como ela, inconsoláveis.

Cantei uma cantiga melancólica, 

a ver se dormiam mas, elas foram chegando, 
dezenas,centenas, milhares de lágrimas gêmeas, 
como bebês, chorando.

Não pude fazer nada alem de cantar, 

desconsolada supliquei aos anjos para acalmá-las, 
dar- lhes sono, sonhos macios
ainda que impalpáveis e irrealizáveis, 
sonhos doces de sonhar.

Desliguei as luzes da ribalta, 
os modens, as mídias, 
só ficou o vento gemendo na janela.
Dormi a sós com ela, minha lágrima menina, 
herdeira do amor, futura rainha dos anelos .

Quando o sol surgiu por detrás das magnólias, acordamos, 

úmidas e abraçadas.
Hoje, vou levá- la ao jardim 

para ver a seca devastadora nos canteiros de lírios
que circundam a moradia. 
E que sobrevivem, 
apesar das pedras e da secura,
tão somente pela graça da poesia e da ternura.


*Carmen Regina

7 comentários:

Jewila_ disse...

Oi, Carmen! Quantas vezes isso nos acontece, não é? Colocado assim em forma de poesia é tão doce e tão triste! Mas ao mesmo tempo é reconfortante por causa da presença dos anjos! Muito obrigada! Beijos no seu lindo coração!

Ana Lu disse...

Nossa! Lindo este poema! *-* Obrigada pelo carinho! Você é um anjo, Carmem!
Beijo!
Deus te abençoe!

Cesár disse...

Oi querida, como sempre vc é maravilhosa e de uma sensibilidade enorme. Adorei esse poema, porque passei diversos momentos retratados nesse poema, e ainda bem que nossas lágrimas nunca secam. Bjos

Carmen Regina Dias disse...

Jewila... Ana Lu... Cesar...
um jeito de poesia dizer que nada é para sempre, que as flores choram sorrindo, basta ver quando vem a chuva, brava, forte, às x com granizos, e o vento devastador...
elas se curvam, suas pétalas roçam o cháo mas, nem bem sai o sol por entre
as nuvens, elas se levantam para
um novo tempo! Algumas pétalas ficam no cháo, e tornam-se adubo para o por vir.

Muito agradecida por seus olhares
táo cheios de poesia.

BLOG DO PROFEX disse...

Carmem, que texto suave e perfeito. Gostei do seu blog e dos seus versos.
Lágrimas, às vezes impossíveis de serem contidas e com as quais arranjamos um jeito de conviver.
Grande abraço!

Plageador disse...

Linda

Vinicius Pereira disse...

Gosto.