sexta-feira, 19 de junho de 2009

tela de Klint

O poeta se cansou.
O sábio já foi dormir faz tempo.


De quem é este corpo que se arrasta
carregando um poeta sonolento?

(Não pode deixá-lo ao relento
quando o espera a alcova sedosa
lençóis com perfume de rosas
sonhos deliciosos e saboreáveis...)


Ah, que é para lá que vai
tão logo resolva o problema:
por o poeta para dormir,
e colocar o ponto final no poema.


carmen

Um comentário:

Sergio Bittencourt disse...

Passei pelos fatos descritos na sua poesia, há poucos dias. Vou investigar como voce conseguiu captar isto. Rsrsrs