quinta-feira, 15 de maio de 2008

Ó nobre Awmergin...


Amado Awmergin, Lorde do Jardim Verdejante...

Passeava em infinita paz interior por vosso Jardim
quando o pequenino Beijaflor pousou em minha mão direita
tão suavemente que meus olhos se fecharam para o contemplar.
Beijou-a sem a tocar, e eu senti como se todas as flores da primavera
houvessem aberto suas pétalas de uma só vez,
e seus perfumes eram um só, indizível, inefável...
Agora sonho, anelo que se abram a qualquer momento
e que os passarinhos venham pousar sobre o veludo perfumado
das flores do teu Jardim...


Carmen Regina Dias

Um comentário:

Awmergin, o Bardo disse...

Repouso em tuas mãos,
Pois nelas sinto-me seguro.