segunda-feira, 12 de maio de 2008

O encontro








Um dia...
(estava escrito nas estrelas
então havia de acontecer...)
Numa noite plena de magia,
o céu desceu à terra e tomou posse do dia,
as estrelas deitaram-se com a grama úmida e macia,

e amaram a madrugada inteira.


Foi nessa noite, profunda e linda,
que o poeta conheceu sua antiqüíssima poesia,
Amor-paixão a perder-se de vista,

sons de mantras, sinos, hinos.
No caldeirão, doce ilusão fervilhando,e a poesia, dos perigos da ternura,
Nem se tocando...

Era realmente mágica e linda
a noite longínqua do vida à fora...
Lá pelas tantas,
entre deuses e deusas conspirando,
o poeta pegou sua cruz e voou,
foi embora.

Não percebeu a joaninha amarela
Pousada em sua janela,
Nem ouviu o seu pedido:
- poeta, larga essa cruz

e vem comigo.

Carmen Regina Dias

4 comentários:

Sônia C. Prazeres disse...

Eu sabia que isso ia ficar lindo! Já estou vendo que tem coisa pra me ensinar!!!
Parabéns, amiga, pelo "Encontro"

Vera disse...

Amo muito esta página
que nasce, e tudo o mais
que há de ser.
Poesia sabe, que venha os
papeis em branco, que o nanquin
há de borrar uma, á uma, por vez!

Muito orgulho de ti,
"Minha" LINDA amiga,
Beijos de luz! :)

st. disse...

Carmem!!! Que preciosidade isso tudo aqui!!! É uma mais linda que a outra!!! Que coração mais belo é o seu!!! Amei!!!!

Jonas de Carvalho disse...

Puxa vida, dizer o que? Combinemos assim o dia que meu queixo voltar ao lugar eu venho aqui e digo algo.